LUANA – ESCLEROSE MÚLTIPLA

“Eu não voltarei mais a comer glúten”

A jovem enfermeira Luana apresentou os primeiros sinais e sintomas da esclerose múltipla há 8 anos, porém, só recebeu esse diagnóstico em 2014.

O seu esposo é médico e após pesquisarem e dialogarem bastante, optaram pelo tratamento com altas doses de Vitamina D em São Paulo.

Durante 2 anos Luana submeteu-se rigorosamente todos os preceitos do Protocolo. Ela melhorou bastante, mas alguns sintomas da doença da doença persistiam e ela decidiu dar continuidade ao seu tratamento em Campinas.

Durante a consulta informamos que iríamos manter a sua prescrição, pois o paratormônio, a 25 OH vitamina D, a calcemia, a calciúria e todos os demais parâmetros bioquímicos estavam perfeitamente de acordo com os valores preconizados. Somente iríamos solicitar, por acréscimo ao Protocolo da Vitamina D, a exclusão do glúten da sua dieta.

Essa recomendação está fundamentada em milhares de publicações na literatura médica internacional que apontam o glúten como o principal gatilho alimentar das doenças autoimunes.

Luana atendeu a nossa orientação e, após 4 meses, retornou a Campinas para a segunda consulta com a boa notícia de que os sintomas residuais da sua doença haviam desaparecido.

Sabemos que a eficiência imunomoduladora da Vitamina D é potencializada por um conjunto de recomendações como não fumar, beber com moderação, praticar atividades físicas regularmente, evitar situações estressantes, não tomar banhos quentes etc.

O depoimento de Luana é mais uma evidência clínica de que a dieta sem glúten deveria fazer parte das medidas terapêuticas adicionais do Protocolo da Vitamina D.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *