JOSÉ AUGUSTINHO – GUILLAIN BARRÉ (Zika Vírus)

“Meu irmão recebeu alta para morrer em casa.”

José Augustinho recebeu o diagnóstico de Guillain Barré 4 semanas após uma infecção por Zika vírus.

Segundo dados epidemiológicos recentes a infecção por Zika vírus está intimamente relacionada com 3 doenças: microcefalia, lúpus e Guillain Barré.

A Síndrome de Guillain Barré é uma doença autoimune relativamente rara, caracterizada por uma degeneração da bainha de mielina que reveste os nervos periféricos (incidência anual 1 a 2 casos cada 100.000 habitantes/ano).

O papel do vírus Zika como fator etiológico da Síndrome de Guillain Barré ficou muito bem estabelecido em função do aumento explosivo dessa patologia nos países da África e da América do sul durante o último surto epidêmico da doença (a incidência dessa síndrome nesses países aumentou de 172%  a 877%).

No caso de José Augustinho, a S. de Guillain Barré foi extremamente agressiva. Ele ficou 6 meses na UTI (3 meses em coma) e recebeu alta com péssimo prognóstico.

Desesperada, a sua irmã perguntou se  nós poderíamos fazer alguma coisa por ele. Decidimos tentar uma abordagem terapêutica com altas doses de vitamina D durante 20 dias e, se o resultado fosse positivo, daríamos continuidade ao tratamento em nosso consultório.

A evolução de José Augustinho superou todas as nossas expectativas: as dores de cabeça que o atormentavam diariamente há 3 anos acabaram. Ele já recuperou boa parte da massa muscular que havia perdido e está caminhando até 2 Km por dia.

 José parece outra pessoa…

 Mais uma preciosa vida restaurada pelo Protocolo da vitamina D .


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *