ELIEZER – REFLUXO GASTROESOFÁGICO

“…eu não volto mais para o glúten…”

O Sr. Eliezer é um engenheiro da Unicamp que há anos estava tratando de um grave refluxo gastroesofágico sem sucesso.

Há 5 meses ele esteve em nosso consultório como acompanhante da sua esposa que é portadora de artrite reumatoide e está sendo medicada com doses altas de Vitamina D e dieta sem glúten.

Eliezer decidiu adotar a mesma dieta e, em poucas semanas, livrou-se completamente da esofagite de refluxo. Além disso, perdeu 8 kg, reduziu o seu colesterol, recuperou a disposição física, melhorou a memória e a qualidade de vida.

Existem diversas patologias envolvidas na etiologia do refluxo gastroesofágico e os pacientes devem procurar um gastroenterologista para fazer o diagnóstico preciso.

A terapêutica tradicional envolve evitar refrigerantes, doces, comidas apimentadas, cafeína, não fumar, reduzir o consumo de álcool, evitar comer muito e não se deitar logo após as refeições. Quando o paciente apresenta refluxos noturnos, está indicado levantar a cabeceira da cama. Medicamentos para reduzir a acidez gástrica como o omeprazol e a ranitidina são frequentemente prescritos. Alguns procedimentos cirúrgicos também podem ser realizados para reduzir o refluxo.eliezer1

Há 3 anos nós começamos a prescrever dieta sem glúten para os nossos pacientes portadores de doenças autoimunes. Muitos deles sofriam de refluxo gastroesofágico e, curiosamente, quase todos notaram significativa melhora dos sintomas digestivos com a retirada do glúten.

 A dieta sem glúten não faz parte das recomendações médicas tradicionais para o controle da esofagite de refluxo. Entretanto, existem muitos trabalhos científicos relatando a relação entre o refluxo gastroesofágico e a sensibilidade ao glúten (non celiac gluten sensitivity) e nós julgamos oportuno compartilhar a nossa experiência.

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *