Search Results for: carlos b

CARLOS BERNARDINO – DOENÇA DE CROHN (Parte 2)

“Estou muito feliz, ganhei massa muscular e qualidade de vida…”

Carlos é portador de doença de Crohn desde o ano 2010.

Durante os primeiros 6 anos ele submeteu-se ao tratamento convencional com graves complicações: apresentou uma suboclusão intestinal e precisou remover cirurgicamente 30 cm do intestino.

Com o uso prolongado da azatioprina (imuran) ele desenvolveu tumores cancerígenos na bexiga e decidiu buscar uma nova terapia.

Há 2 anos Carlos nos procurou em Campinas. Ele apresentava crises de diarreia diariamente, estava com anemia, fraqueza e muito desânimo.

Iniciamos o tratamento com o Protocolo da Vitamina D e retiramos o glúten da sua alimentação.

A evolução clínica superou todas as expectativas. Ele está cada vez mais disposto, voltou a praticar esportes vigorosos, ganhou massa muscular e recuperou a alegria de viver.O seu testemunho é mais uma evidência cristalina de que o Protocolo da Vitamina D e a dieta sem glúten representam a melhor opção terapêutica para Doença de Crohn e as demais patologias imunológicas.

Clique no link aqui para assistir o primeiro depoimento de Carlos Bernardino.


 

CARLOS BERNARDINO – DOENÇA DE CROHN

SENSIBILIDADE AO GLÚTEN NÃO CELÍACA

Carlos é Professor de Educação Física. Possui um porte atlético e sempre teve boa saúde.

Em 2010 anos começou a apresentar dores abdominais, apresentou uma suboclusão intestinal e submeteu-se a um tratamento cirúrgico com remoção de 60 cm do intestino.

Recebeu o diagnóstico de Doença de Crohn e foi medicado com mesalasina.

Porém, a doença não estava evoluindo bem e seu gastroenterologista acrescentou azatioprina, um poderoso imunodepressor. Algum tempo depois Carlos desenvolveu um câncer de bexiga, muito provavelmente pelo uso da droga.

CARLOS BERNARDINO-crohnEle submeteu-se a dois procedimentos cirúrgicos para tratamento do câncer e foi medicado com BCG para aumentar a imunidade deprimida pela azatioprina.

Preocupado com os efeitos colaterais do tratamento convencional ele decidiu tentar o tratamento com o Protocolo da Vitamina D.

Suspendemos os medicamentos convencionais, retiramos o glúten tóxico da dieta e iniciamos o tratamento com doses hiperfisiológicas da vitamina D.

Carlos ficou completamente assintomático com o tratamento instituído. No entanto, no final de 2015, fez uma viagem com a esposa e abandonou a dieta, voltando a ingerir glúten.

Em poucos dia apresentou um novo surto da doença de Crohn caracterizado por fortes dores abdominais, diarréia e sangramento profuso e voltou a tomar mesalasina, sem sucesso.

Decidiu então retomar a dieta sem glúten e o Protocolo da Vitamina D e está evoluindo muito bem. Hoje ele está plenamente convencido de que esse é o melhor tratamento para a Doença de Crohn.

“O DEPOIMENTO DE CARLOS É MAIS UMA FORTE EVIDÊNCIA DE QUE O PROTOCOLO DA VITAMINA D É POTENCIALIZADO PELA ELIMINAÇÃO DO GLÚTEN TÓXICO DA DIETA”


CARLOS ALBERTO – ESPONDILITE ANQUILOSANTE


“21 ANOS DE SOFRIMENTOS SOLUCIONADOS EM 7 DIAS”

Carlos Alberto é um jovem advogado da cidade de Itapetininga, interior de São Paulo.

Em 1996, após diversos episódios de fortes dores articulares, ele foi diagnosticado como portador de Espondilite Anquilosante.

Durante 21 anos ele submeteu-se ao tratamento convencional sem sucesso. As dores sempre o incomodaram, comprometendo significativamente a sua Qualidade de Vida.

Há 6 meses (no dia 23 de fevereiro de 2017), ele nos procurou em Campinas, acompanhado da sua esposa Tatiane, uma nutricionista.

Nós lhe asseguramos que ele iria ficar bom em dias.  E, foi exatamente o que aconteceu: Carlos abandonou os medicamentos convencionais, passou a tomar vitamina D em doses altas, retirou o glúten da sua alimentação e, em apenas uma semana, todos os sintomas da sua doença desapareceram.

Desde então Carlos permaneceu assintomático, com exceção de 2 episódios transitórios de dores articulares que foram provocados por transgressões alimentares.

Hoje Carlos e sua esposa estão plenamente convencidos de que a retirada do glúten foi fundamental para o sucesso do tratamento da sua doença com o Protocolo da Vitamina D.

JOSÉ CARLOS – DEPRESSÃO PROFUNDA


A depressão é um quadro clínico frequente, geralmente sem maiores consequências. Porém, em determinados casos, pode provocar efeitos devastadores na vida do paciente e de todos aqueles que o amam e desejam o seu bem.

Pude observar esse fato durante a consulta do José, quando ele falou que a sua vida não tinha mais sentido algum e estava pensando seriamente em colocar um ponto final no seu sofrimento!

A sua mãe, uma senhora abatida, de aparência sofrida, se retirou da sala soluçando e ficou chorando baixinho no corredor.

José Carlos começou a ficar deprimido aos 10 anos de idade. Consultou diversos especialistas e quase todos relacionaram a sua doença com a separação dos pais. Durante quinze anos ele foi acompanhado por psicólogos e psiquiatras, tomou diversos calmantes e antidepressivos sem sucesso algum.

Todos nós sabemos que gatilhos emocionais podem desencadear inúmeras patologias graves em pacientes geneticamente propensos.  Entretanto, existem muitos outros fatores em jogo e, de acordo com a literatura médica internacional, a hipovitaminose D e o glúten estão intimamente relacionados com a depressão.

Por conta própria, José já havia interrompido todos os medicamentos antidepressivos e nós iniciamos imediatamente o Protocolo da Vitamina D e uma dieta totalmente isenta dos cereais cujo glúten é considerado tóxico.

joséA exemplo do que aconteceu com os outros pacientes depressivos que estou acompanhando, José Carlos evoluiu muito bem!  O seu apetite voltou! Nas suas próprias palavras, está comendo como um “pedreiro”. Começou a fazer musculação e já ganhou 7 Kg de massa muscular. Passou a dormir bem, não possui mais ideias suicidas, voltou a trabalhar e está se socializando progressivamente.

Além disso, trocou as camisetas pretas por roupas coloridas e já está esboçando os primeiros sorrisos…

Tenho certeza que o seu depoimento, da mesma forma que o da Raquel e da Renata, ajudará muitos médicos e pacientes a encontrar novos caminhos para solucionar esse grave problema de saúde pública.

Se fizermos uma rápida pesquisa no Google escrevendo “gluten and depression”, encontraremos centenas de milhares de trabalhos científicos que comprovam a importância da eliminação do glúten no tratamento da depressão (e praticamente todas as doenças imunológicas).